CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

domingo, 12 de abril de 2009

Emudecido


















Calo em mim,
todo o sentimento de amor
Deixo-o livre; assim tem de ser
Sigo adiante,
Na solidão inquieta do peregrino aflito
A estrada é escura, sombria
Mas o brilho das estrelas
Nutre a chama de minh' alma
Preservando o calor
De um coração mudo

Imagem: Van Gogh - 'Noite Estrelada'

Texto: Débora Goya

5 comentários:

Jonathan Flexa disse...

No começo, não entendi se vc prende ou libera o amor
Desculpe a ignorância...

Débora disse...

hehehehehehehe
Não se desculpe, não há pelo que se desculpar. Vc não tem a menor obrigação de saber o que se passa pela minha alucinada cabeça... rs
Isso foi escrito pra uma pessoa.
O 'deixo-o livre' é onde me refiro a esta pessoa. Se me calo, é pq não mais expressarei meu sentimento, ou seja, deixo a pessoa livre de minhas declarações, entendeu agora? ;^D

Obrigada pela visita e boa semana!

Beijoooo

Flôr de Azeviche disse...

Eu gostei!
Estou descobrindo a Deb's escritora, estou adorando, sabia?!

Beijoos

Débora disse...

Ah Thá... fico feliz q vc esteja curtindo esse meu lado... de verdade.
Eu sempre gostei mto de escrever, mas havia largado mão. E tenho sentido cada vez mais vontade de escrever. Espero q lhe agrade sempre. =D

Super beijooo!

Deb´s.

Flôr de Azeviche disse...

Sim, estou gostando bastante desse lado da Deb's ^^
Sempre gostei muito de escrever também, e, sempre admirei quem escrevia poemas, contos, histórias, enfim, mas nunca achei que os meus escritos eram bons. E também não mostrava pra ninguém, era uma certa vergonha? Não sei se é essa a palavras, mas criei o blog e esqeuci essa parte... Hoje eu nem ligo.
Beijos, linda ^^